O MELHOR E O PIOR DO CARNAVAL 2015 EM SANTARÉM

A distância entre o melhor e o pior do carnaval de Santarém tem mais de 1.000 km, nada se compara ao mal gosto do pior carnaval do Brasil realizado em Alter do Chão, mais precisamente na quadra que carrega o esdruxulo nome de "Çairodromo"

O PIOR

Em Alter do Chão o carnaval é mais ou menos assim: Você entra banhado, limpo, cheiroso, no meio de uma pequena multidão de estratosférica miscigenação que vai de noiados, pés inchados, cidadãs de bem, prostitutas, senhoras de respeito, desocupados, empresários, crianças e os cambau a quatro. Uns trazendo bebida quente: cachaça em litrão, capetão, diabão, vodka, wysk importado, energético e outras substâncias mais abrasivas, elementos com facas, canivetes, terçados e outros materiais bélicos por aí a fora.

 

Bastam cinco minutos para você está muito próximo do que seria um porco: sujeira, melecas de trigo, Maizena, espuma de barbear, de sabão de detergente, cal, e outras desgraceiras mais. Para quem imaginava que isso não podia piorar se enganou.... Agora a galera coloca potentes "Paredões" com milhões de decibéis de volume um ao lado do outro e cada um tocando uma música diferente. Aí fica de tal maneira que você nem ouve, nem fala, nem vê nada. Não hove por causa do barulho ensurdecedor sem se saber o que diabos está tocando, não vê porque assim que você tentar abrir discretamente seu olhinho, vem um cão e sapeca cal, trigo ou pó na sua vista, e não fala nada porque não tem quem lhe escute coisa alguma.

O MELHOR

Acontece nas ruas de Santarém, virando esquinas, subindo ladeiras de forma simples, limpa simpática e empolgante. Repleto de bom humor, marchinhas dos sonoros metais, irreverência dos foliões, indumentárias engraçadas, respeito e muita muita alegria.

Gulherme Taré e o Velho Marreta, Organizadores.

Esse é o "Só Fuleragem" o bloco carnavalesco que já tem 10 anos e foi fundado pelo músico Marreta para dar uma oportunidade aos profissionais que trabalham no carnaval, são: músicos, seguranças, cordeiros, garçons além de uma multidão de cidadãos comuns que a cada ano engrossam as fileiras do bloco.

 

Apesar do nome, fuleragem lá é o que não tem, só se vê crianças com os pais, a cervejinha e uma onda imensurável de cores e brilho num carnaval de gente inteligente que sabe brincar e curtir a vida com sabedoria.

Fotos: Edi Yank Portela e Blog do Augusto

Comentários

Vai quem quer, opção tem...

Vejo então que o Santareno tem escolha, menos mal, vai quem quer, se foi para Alter, já sabia oque esperava. Agora ficar reclamando tendo noção do que já estava acontecendo em ambos os carnavais, tanto em Alter como em Santarém, é não ter noção ou ser sem noção, ou a ignorância ao extremo....

Novo comentário

 

        

 

Newsletter

Assine a nossa newsletter: