Produtos apreendidos em casa que funcionava como frigorífico são descartados em aterro sanitário

Cerca de 15 toneladas de produtos apreendidos em uma casa que funcionava como frigorífico, na comunidade Diamantino, em Santarém, oeste do Pará, serão descartadas no aterro sanitário de Perema. Na manhã desta terça-feira (6), foram descartadas cerca de 4 toneladas.
 
O proprietário dos produtos – em sua maioria, pirarucu, piracuí, camarão e aviú – não possuía documento de origem e nem a licença ambiental necessária para esse tipo de empreendimento.
 
As condições de higiene, segundo constatou a Vigilância Sanitária, eram precárias, assim como a forma como os produtos estavam acondicionados eram inadequadas.
 
Os fiscais do Ibama, Semma, Divisa e Adepará encontraram uma grande quantidade de peixes e crustáceos em uma câmara frigorífica, porém estavam sem selo que comprovasse a origem do produto, data de fabricação ou prazo de validade.
 
Segundo o chefe da Divisa, Valter Matos, o empreendedor foi orientado sobre os procedimentos necessários para se regularizar junto aos órgãos competentes.
 
Valter lembrou que a Vigilância Sanitária trabalha em parceria com outros órgãos que promovem o controle sanitário no município. Ele explicou que as ações da vigilância sanitária estão associadas ao processo de regulação, monitoramento e fiscalização de produtos e serviços, com a finalidade de prevenir e reduzir os riscos à saúde individual e coletiva.
 
Piracuí, camarão e aviú sem selo de origem foram descartados no aterro sanitário (Foto: Valter Matos/Divisa/Divulgação)
 
O chefe da Divisa entende que é preciso uma conscientização por parte de todos, ressaltando a importância de regularização junto aos órgãos competentes, através de solicitação de licenças e alvarás. “Para isso, o comerciante precisa procurar os setores competentes junto à Prefeitura, para saber quais os procedimentos necessários para o funcionamento de seu estabelecimento, levando em conta a especificidade do seu negócio. Isso vai evitar problemas futuros”, finalizou.
 
Fonte: g1

 

        

 

Newsletter

Assine a nossa newsletter: